NASA INVESTIGARÁ O PRIMEIRO CRIME COMETIDO NO ESPAÇO

Os seres humanos estão no espaço há 58 anos e, durante esse período, permaneceu como uma zona relativamente livre de crimes. Mas isso pode mudar. Neste final de semana, o jornal The New York Times informou que problemas com uma astronauta provocaram alegações sobre o que poderia ser o primeiro crime cometido no espaço se essas acusações forem provadas verdadeiras.

Astronauta Anne. (Créditos: NASA).

Anne McClain é uma astronauta que recentemente passou seis meses a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), onde é acusada de que ela tenha acessado as contas financeiras de sua ex-esposa enquanto orbitava a Terra.

McClain admitiu ter acessado uma conta bancária pertencente a Summer Worden, com quem se casou em 2014 e atualmente está em processo de se divorciar. Mas disse ao Times – por meio de um advogado – que estava apenas verificando se as finanças da família estavam saudáveis ​​para o benefício do filho de Worden, que o casal havia criado antes da separação.

Worden acusou McClain de roubo e acesso indevido a seus registros financeiros. Enquanto isso, os pais de Worden afirmam que McClain acessou as contas como parte de uma campanha calculada e manipuladora para obter a custódia do filho de Worden. Não parece haver nenhum sinal de fundos sendo retirados ou transferidos da conta, mas os investigadores do Escritório do Inspetor Geral da NASA falaram com ambas as partes para tentar descobrir exatamente o que aconteceu.

Essas alegações podem ser as primeiras, mas o advento das viagens extraterrestres levanta questões em torno da atividade criminosa no espaço (e como processar essas atividades na Terra) – particularmente à medida que o turismo espacial se aproxima da realidade.

A partir de agora, existem cinco agências espaciais conectadas à ISS (dos EUA, Rússia, Canadá, Japão e Europa), cada uma das quais está sujeita às suas próprias leis nacionais (ou, no caso da Europa, internacionais). No entanto, existe uma estrutura estabelecida para processos de extradição, que tecnicamente permite que um país processe cidadãos de outro país por qualquer delito cometido no espaço.

A Nasa disse ao Times que não sabe de nenhum crime cometido no espaço e, pelo menos por enquanto, essas estruturas legais não foram experimentadas na prática.

Esperava-se que McClain fosse a outra metade da primeira caminhada espacial exclusivamente feminina, planejada para o começo deste ano. No entanto, isso teve que ser cancelado “em parte” porque não havia roupas de tamanho adequado. Em vez disso, Christina Koch fez a viagem com Nick Hague, enquanto McClain permaneceu dentro da ISS (embora ela tenha feito uma caminhada espacial em 22 de março).

Um porta-voz da NASA disse ao Times que o cancelamento não tinha nada a ver com as alegações do Worden e se recusou a comentar mais sobre o caso. [IFLS]

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *