NAZISTAS SABIAM SOBRE A EXISTÊNCIA DE ALIENÍGENAS?

Segundo documentos da Segunda Guerra, governo alemão teria conhecimento sobre discos voadores

Desde os primórdios da humanidade, a existência de vida em outros planetas é questionada. Antes mesmo da Segunda Guerra Mundial, rumores sobre discos voadores já eram comuns, mas foi a partir deste período que começaram a surgir estudos mais aprofundados sobre o tema e sobre a possível ligação de nazistas com seres espaciais.

Segundo um artigo publicado pelo o especialista em estudos de OVINIs nazistas, Kevin McClure, há fatos sobrenaturais que ocorreram durante a Segunda Guerra que podem explicar a tecnologia nazista. Durante sua pesquisa, McClure encontrou uma obra chamada Close Encounters of the Kugelblitz Kin, escrita em 1993 por Vladimir Terziski.

De acordo com Kevin McClure, Terziski teria recebido relatórios de Renato Vesco, um famoso engenheiro italiano que trabalhou com soldados nazistas. Terziski afirmou em sua obra que, durante a Segunda Guerra, surgiram pesquisas sobre naves híbridas, entre elas a RFZ-1 construída pela Vril, uma Sociedade Secreta da Alemanha.

Para Terziski, Renato Vesco é o responsável por trabalhos escravos envolvendo nazistas, que atuavam na construção de naves espaciais. “Membros da SS puramente concebidos que vivem no subterrâneo, conduzindo experiências genéticas que continuam aquelas da Segunda Guerra, em prosseguimento da do pacto Alemães-Nazistas-Illuminati, que foi estabelecido com as raças-serpente muito anos antes que o governo híbrido secreto/convencional o fizesse”, escreveu Terziski em sua obra.

É possível, ainda, encontrar no site da Infa (Instituto Nacional de Investigação de Fenômeno Aeroespaciais) diversos relatos de ex-pilotos da Segunda Guerra Mundial que teriam avistado objetos voadores não identificados, com intensos focos de luz, que ficaram conhecidos como foo fighters (caça-fantasmas, em tradução livre).

Na época, os aliados acusaram os alemães de terem criados uma arma secreta nazista, mas pilotos da Luftwaffe — pertencente à Alemanha — também eram afetados pelos foo fighters. Em 1943, o Estado-maior do Exército do Ar da Alemanha começou a receber diversos relatórios de estranhos avistamentos. O mistério motivou o exército alemão a criar, em 1944, o projeto Sonder Büro nº 13 (Base Espacial nº 13, em tradução livre).

Não convencidos, os ingleses lançaram o projeto Massey e chegaram a acreditar que os foo fighters eram, na verdade, armas psicológicas nazistas. Em um artigo publicado pelo site Painel OVNI, ligado ao Centro Brasileiro de Pesquisas Ufológicas, um ex-oficial aviador da USAF, que não foi identificado, afirma que os nazistas não tiveram ajudas alienígenas.

“Provavelmente os foo fighters são o desenvolvimento de uma arma psicológica usada pelos alemães. No último ano de guerra, os alemães enviaram contra nós (aliados) certo número de corpos luminosos aéreos radiocomandados para perturbar o dispositivo de ascensão dos motores e o funcionamento do radar de bordo”, disse o ex-oficial.

Embora as especulações, o espião infiltrado na Alemanha, lançado pelo projeto Massey, concluiu que os foo fighters não foram projetados por nazistas. Já Rudolf Lusar, autor da obra German Secret Weapons of the Second World War, afirma que os primeiros projetos de discos voadores foram planejados em 1941.

“Os desenhos para esses discos voadores foram feitos por peritos alemães Schriever, Habermohl e Miethe, e o italiano Bellonzo. Habermohl e Schriever escolheram um anel da superfície ampla que girava em volta de cabine fixa do piloto em forma de cúpula”, escreveu Lusar.

Em 27 de março de 1950, o jornal italiano Il Mattino dell’Italia Centrale divulgou um desenho feito durante a Segunda Guerra, pelo engenheiro Giuseppe Belluzzo, em que comprova o desenvolvimento de aeronaves circulares na Alemanha e na Itália, em 1942 — dois anos antes do projeto Sonder Büro nº 13 ser lançado. Nesta ocasião, Belluzzo afirmou que os discos voadores não chegaram a serem usados na guerra, descartando a possibilidade de serem os foo fighters.

Segundo o jornalista e autor do livro Grandes Mistérios da História, Sérgio Pereira Couto, os relatos dos supostos discos voadores são histórias baseadas em fatos que realmente já ocorreram. No entanto, ele ressalta que é impossível afirmar que os nazistas tiveram realmente conhecimento sobre tecnologia alienígena.

“É extremamente difícil registrar tudo isso num texto explicativo, principalmente para quem não conhece o ambiente no qual a Segunda Guerra Mundial aconteceu”, explica o escritor em seu livro.

+Saiba mais sobre esta e outras história do nazismo:

Grandes Mistérios da História: A teoria da conspiração e os segredos por trás dos acontecimentos, de Sérgio Pereira Couto (2015) – https://amzn.to/2QHjs6p

As mulheres do nazismo, de Wendy Lower (2014) – https://amzn.to/2Nv41vZ

O Carrasco de Hitler, de Robert Gerwarth (2015) – https://amzn.to/30nlw6E

Ascensão e queda do Terceiro Reich – Box com 2 volumes, de William L. Shirer (2017) – https://amzn.to/30upmef

Depois de Auschwitz, de Eva Schloss – https://amzn.to/2uSd4Rg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *