Pesquisadores descobrem "segundo cérebro" oculto no corpo humano

Graças aos recentes avanços nas tecnologias médicas, o cérebro humano tornou-se uma das grandes fronteiras da ciência moderna. Brain scanning dispositivos, redes de inteligência artificial, e wearables experimental estão permitindo que os cientistas qualificados e amadores “biohackers” tanto para começar a adulterar os mistérios da mente humana e desbloquear o potencial humano oculto cognitivo. Podemos em breve nos encontrar em um futuro onde o cérebro humano se torna apenas mais um DataSet para ser manipulado, carregado e armazenado como qualquer outro dado digital.

Acontece, porém, que o corpo humano pode ser o lar de outro “cérebro” inteiramente, um envolvido com uma das coisas mais importantes que fazemos a cada dia. Bem, todos os dias para muitos de nós, de qualquer maneira. Comam suas fibras, pessoal. De acordo com um comunicado de imprensa de neurocientistas na Universidade Flinders, em Adelaide, o trato gastrointestinal humano abriga um sistema de milhões de neurônios que controlam as contrações musculares rítmicas que ajudam os resíduos a viajar através do sistema digestivo.

Nick Spencer, um dos cientistas por trás do estudo deste “segundo cérebro”, publicado no jornal da neurociência, diz que “estes resultados identificar um padrão previamente desconhecido de atividade neuronal no sistema nervoso periférico”, tornando o gastrointestinal trato “o único órgão interno com seu próprio sistema nervoso completo que pode operar totalmente independentemente do cérebro e/ou da medula espinhal.” Spencer e seus colegas, mesmo sugerindo que este “segundo cérebro” pode ser realmente o “primeiro” cérebro humano, porque provavelmente evoluiu antes do sistema nervoso central. Ou seja, os seres humanos foram capazes de produzir os movimentos intestinais muito antes de sermos capazes de pensar sobre a produção de movimentos intestinais.

Assidete, ergo sum

O sistema nervoso entrante, como o “segundo cérebro” é conhecido, tem sido conhecido pela ciência há algum tempo, mas este estudo é o primeiro a identificar esta atividade neuronal. Embora longe de descobrir um cérebro segundo real, esta pesquisa revela que há ainda muito mais mistérios escondidos dentro do corpo humano e da mente do que nós provavelmente percebemos. Que segredos os neurocientistas do futuro poderão desbloquear?

Facebook Comments